fbpx
Foto da maniçoba ao lado de uma tigela de açai

Tutorial maniçoba: existe jeito correto de apreciar o prato?

A maniçoba é um prato que atravessa gerações e, pelo menos no Círio, a família se reúnem à mesa para partilhar bons momentos. A clássica combinação da iguaria é com arroz branco, farinha e, para alguns, aquela pimenta de cheiro pai d’égua. Mas, será que isso é uma regra? É a única forma de comer maniçoba?

Conversamos com pessoas que, digamos, têm um olhar mais criativo sobre a comida e a degustam de formas diferentes, mas com uma coisa em comum: o amor pela iguaria.

 

Mais paraense impossível

Algumas combinações no dialeto paraense resumem muito bem a região, tal como tecnobrega com Ver-o-Peso, “égua” com “maninho” e café com pupunha, por exemplo. Contudo, a estudante de Relações Internacionais, Thayse Santos, nos mostrou um novo combo genuinamente paroara: maniçoba com açaí. Que tal?

E, olha, te digo que é uma boa combinação.”

O hábito é herança de família. A mãe dela nasceu no interior de Abaetetuba e o pai, em uma ilha entre Cametá e Limoeiro do Ajuru. Thayse, por sua vez, cresceu lá em Barcarena, onde a família tomava açaí todos os dias em, praticamente, todas as refeições.

“Quando criança, sempre havia o arroz, feijão, uma proteína e, claro, o açaí, que na verdade era o item mais importante”, conta a estudante. Seguindo essa lógica, era de se esperar que a maniçoba não fugisse à regra: “Eu sempre comi praticamente toda comida salgada com açaí e não vi estranheza em experimentar com maniçoba. E olha, te digo que é uma boa combinação”, afirma.

“Hoje, moro em Belém e sei que aqui as pessoas têm o costume de tomar o açaí somente após a refeição, como sobremesa. Era, de certa maneira, engraçado o espanto da família do meu marido quando eles me viam almoçando com a tigela de açaí”, comenta Thayse. Essa fala salienta que o Pará não se resume aos hábitos da capital, muito pelo contrário, existe uma infinidade de formas de consumir a iguaria pelos quatro cantos do estado. “Eu me considero ribeirinha, praticamente cresci na ilha e meu avô criou os filhos com dinheiro de venda de açaí. Daí dá pra perceber que sou um pouco apegada às tradições”, comenta a paraense que se orgulha de unir dois costumes à mesa, o melhor de dois mundos.

Só pra deixar claro: a Thayse come o açaí e a maniçoba juntos, mas em recipientes separados, assim como o açaí com peixe. Segundo ela, a mistura dá certo e não faz mal, mas ressalta que o açaí tem que estar sem açúcar e com farinha!

 

O do contra

Pra vocês verem o quão tradicional é comer maniçoba com arroz (de preferência Zilmar, né?), o simples fato de trocá-lo pelo carboidrato mais óbvio já gera estranheza. O estudante Igor Melenas, por exemplo, foi até onde nenhum paraense imaginou: no lugar do arroz, macarrão, e no lugar da farinha, farofa.

“Um dia cheguei em casa ‘brocado’ e coloquei no prato o que tinha na geladeira: maniçoba, farofa e macarrão”, conta. A partir daí virou uma pequena tradição dele: “Acho que a farofa absorve melhor o caldo da maniçoba, ela fica com um gostinho a mais, quase perfeita”.

Preferências à parte, Igor ressalta que o importante é gostar do prato, não importa como você o come. Se te deixa feliz, tudo certo. “Acho que, sendo paraense, podes comer como tu quiseres”, brinca.

 

Quem não tem cão caça com gato

Sabe aqueles dias em que você está muito cansado ou sem tempo e abre a geladeira com um pão na mão em busca de algo que sirva de recheio? Já até sabes onde essa história vai chegar, né?

“Um belo dia, tinha maniçoba em casa e nenhum acompanhamento, mas tinha pão e como outras vezes já tinha comido no ‘estilo sopa’ (molhando os pedaços de pão ou torrada no caldo da maniva), resolvi experimentar e fazer um sanduíche de maniçoba. Ficou muito bom [risos]”, testemunha o estudante Aldry Santos.

Aldry prepara a gororoba, quer dizer, o lanche, com qualquer tipo de pão. “Até hoje não vi ninguém que coma assim além de mim. Geralmente, faço pra lanchar quando não quero fazer uma refeição muito pesada, mas ainda assim, desejo o sabor da maniva”, completa.

Quando perguntado se existe a forma correta de comer maniçoba, Aldry deu a resposta mais sincera e bem humorada possível:

Acho que a única regra pra se comer maniçoba é esperar os sete dias de cozimento, de resto, tá valendo tudo.”

E você, leitor, o que acha? Com pão, açaí ou macarrão? Ou quem sabe do seu próprio jeito de comer o prato? De toda forma, esperamos que vocês mergulhem no sabor único dessa iguaria deliciosa!

Sem comentários

Publique um comentário